11 de set de 2006

Dois tópicos: de vida e morte

11 de set de 2006
- Tenho achado a VIDA ultimamente bem mais complexa do que tempos atrás. Tudo parece mais indefinido e mais cheio de dúvidas, por mais que algumas conclusões tenham providencialmente sido tiradas e tenham alterado um pouco o dia-a-dia e a forma de sentir e enxergar certas coisas.
Por mais incrível que possa parecer as vezes a solidão (aquela mesma que machuca), nos leva a reflexões múltiplas, e a ter certas atitudes visando nosso própio bem, coisa que podemos, por acaso, nos esquecer em períodos extremamente sociáveis. Como diria um filósofo de rua: "vivemos mais a vida dos outros quando temos os outros a nossa volta"
Não sei se isso faz muito sentido pra vocês, mas pra minha pessoa até que tem sido algo, digamos relevante...
- O que dizer sobre a MORTE ?Talvez nada a dizer, pois dela pouco sabemos e continuaremos sem saber até o dia que ela por ventura chegar.
Citando esse assunto, me lembro agora do acidente que matou cinco jovens na lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio.
Cada um daqueles cinco sabiam dos riscos que corriam ao entrar num carro dirigido por um bêbado alucinado, portanto se sabiam dos riscos, me arriscaria agora dizer que a morte de todos foi só a conclusão de algo previamente estabelecido. Literalmente sem novidades.
Ninguém vive pensando em morrer, ou pelo menos não aqueles cinco jovens. Por sinal "jovens" vem gradativamente se tornando sinônimo de um ser alcoolizado em nível extremado dançando alucinadamente em alguma boate. Vamos diferenciar juventude de bagunça. Cada qual vive seus dias da maneira que quizer, seja de uma forma boa ou ruim. E cada um tem noção da forma que vive e das opções que escolhe, pensando apenas num prazer momentâneo sem se lembrar do futuro e das pessoas que o esperam em casa (negligentes também).
Essa opinião pode soar conservadora, mas é o que eu penso e muitos pais também pensam dentro de casa, enquanto seu filho morre na rua, vítima da hipocrisia própia.
Quantos mais precisarão morrer para a lição ser aprendida? Ou será que só a aprendemos quando morremos, batendo de frente com uma árvore? Eu já a aprendi, e você?
Valorizar a vida depende agora da forma que voce diverte. Puxa, o que diriam nossos avós?

10 comentários:

Miss Mary

oi!
poxaa mto bom o comentário!
pq vc num vira escritor?
mto legal!às vezes os jovens confundem diversão com bebidas,drogas....confusão!
eu axu q devemos nos divertir respeitandu us outros....tipo, sem caçoar,ou sei lá!
isso q vc falô eh mto importante!
um abraço!

Cissa

conversava sobre isso ontem com algumas pessoas. parece que dar valor à própria vida tá cada vez mais raro. =P
e sim, a cada dia, tudo parece mais indefinido, sem sentido e sem respostas. tô num momento bem assim.

obrigada pelos elogios, por fim. resenha pronta. hehehe... ;)

*Dani

Tudo p mim hoje é muito incerto, confuso, temos q aproveitar o máximo d vida, amanhã podemos não estar aki por inumeros motivos.

Gotei d blog, parabéns, boa semana!

*Dani

Tudo p mim hoje é muito incerto, confuso, temos q aproveitar o máximo d vida, amanhã podemos não estar aki por inumeros motivos.

Gotei d blog, parabéns, boa semana!

Julis

Ta aí um assunto que eu não consigo conversar: MORTE!
Se que não deveria pensar assim mas a morte é uma coisa que me assusta... Hoje a vida se mostra estranha pq penso que o tempo está cada vez mais curto! As pessoas tem muito tempo pra se preocupar e pouco pra viver e aí quando acorda... Já foi!

Cecília

Puxa!! Eu realmente sumi do mundo blogueiro! É pq tava sem ânimo pra escrever e agora bateu um relâmpago e tiver que correr pro meu cantinho! Abandonado mas ta lá! Tenho que dar uma faxina e organizar os links... mas não deixe de passar por la!! Beijosssss :*

Thatha

concordo com kd palavra =D
mas kd 1 e kd 1 a
as x 1 atitude ridicula visto por otros olhos n seja tao ridicula cmo parece ser
bjs amo seu blog
^^
Tha

Lara

Ixi, já perdi noites tentando entender a morte (daí ter pesquisado um bocado sobre cemitérios...)...só posso entender que é a única coisa da qual temos certeza e a única que nos torna iguais, independente de quanta dor (ou alegria, quem sabe) ela pode causar...
gostei muito desse post!
Bjus T+

Raphael

Em meio a todo o processo que choca a "sociedade" de um modo geral, há ressalvas importantes a serem feitas: em um primeiro momento, chocam porque a mídia afirma ser chocante; depois, as pessoas não fazem previsões negativas a todo momento, o que sugere que as garotas esperavam até alta velocidade na direção do rapaz, mas segurança, sim, paradoxal; finalmente, há de estabelecer um paralelo entre a negligência própria e a vontade de correr riscos incalculados que aflige um relevante número de pessoas.
Análise concluída, devo dizer que não me comportaria da mesma forma que as garotas, mas não as condeno, pelo menos inicialmente, pois não sei o que se passava na cabeça delas em relação à concepção que tinham da própria vida.

Priscila Pinheiro

tem gente que se acham mesmo o super-homem ou a mulher maravilha. Na juventude é comum termos a sesação de imortalidade.Nunca vai acontecer com a gente. É por isso que cada dia mais acontecem casos de gravidez precoce, AIDS, acidentes...

enfim... a vida está valendo muito pouco...

 
◄Design by Pocket, BlogBulk Blogger Templates